6 dicas para economizar na sua obra!

6 dicas para economizar na sua obra!

Estamos sempre em busca de alternativas para economizar no dia a dia, não é mesmo? Diminuir despesas é quase um mantra em diversas residências e empresas espalhadas por todo o mundo.

O objetivo disso é muito claro: Com dinheiro sobrando, fica mais fácil pensar em outros tipos de investimentos.

No caso do empresário, por exemplo, pode apostar em novas ideias a curto ou a longo prazo com expectativa de um bom retorno financeiro. Já para quem é chefe de família, o reajuste nas finanças ajuda a garantir um futuro seguro e sem maiores preocupações relacionadas à falta de dinheiro.

Construir é uma das atividades mais “caras” e trabalhosas que existem. Mas, assim como na economia doméstica e no reajuste financeiro de uma empresa, existem diversas atitudes simples que podem ajudar a economizar em qualquer tipo de obra.

Se você está prestes a construir ou reformar, continue lendo, e aprenda 6 passos simples e possíveis para conseguir economizar em sua obra.

Planejamento: O primeiro passo para economizar na sua obra.

Seja uma construção feita do zero ou uma reforma simples, ambas possuem um custo alto. Definir como a obra será feita é fundamental.

Além dos detalhes sobre o tipo de obra, no planejamento também são informados os custos e prazos para conclusão de cada etapa da construção, os materiais utilizados, orçamento, mão de obra contratada, custos com regularização e licenciamento, entre outros. O planejamento de obras deve ser feito em conjunto com o estudo de viabilidade do projeto para se certificar que o valor investido vai gerar lucro o suficiente para a empresa.

Um planejamento mal feito ou carente de informações pode gerar grande impacto no orçamento previsto e até falta de dinheiro para conclusão do projeto.

Para as empresas de construção civil, as três principais causas que podem acarretar prejuízos financeiros severos são processos construtivos ineficientes (retrabalho, desperdícios de materiais); má gestão de tempo (falta de materiais no estoque, atrasos no cronograma e na entrega de insumos) e a dificuldade em tomar atitudes sustentáveis durante a obra, como por exemplo, o modo de descarte de resíduos da construção.

Para que a gestão seja organizada, a empresa deve trabalhar com margem de lucro de 10%. Ou seja, ao evitar que o desperdício total ultrapasse os 10%, o lucro tem acréscimo de 100%.

Confira agora nossas dicas para você conseguir economizar em sua obra!

Projeto

É a fase principal de qualquer construção e também um dos itens mais caros, pois elaborar um bom projeto com maior número de detalhes requer reforço de arquitetos e engenheiros para visualizar melhor como será feita a obra.

Se você não pode bancar um arquiteto para projetar o que você imagina, por exemplo, um bom engenheiro é uma possível solução para conseguir bons resultados, principalmente se o seu projeto for do tipo básico. Uma boa saída é ouvir atentamente todas as opções que o arquiteto ou engenheiro apresentarem para seu projeto e, assim, avaliar quais delas são mais viáveis para seu objetivo e seu bolso.

Insumos

Na hora de comprar cimento, madeira, aço, areia, tijolos e demais insumos básicos para sua construção, pesquise bastante entre as lojas de materiais de construção e distribuidoras que fornecem estes itens.

No caso de areia e aço, por exemplo, dê preferência pela compra diretamente nas fornecedoras. Nestes lugares, você consegue comprar em maiores quantidades com preço mais baixo que encontrado nas lojas. Outra dica é procurar investir em cargas fechadas de blocos ou tijolos e no aluguel de containers para armazenar grandes quantidades de cimento.

Mão de obra

São muitos os profissionais requisitados para qualquer obra: pedreiros, eletricistas, marceneiros, pintores, entre outros.

Nestes casos, é sempre bom realizar uma pesquisa aprofundada e pedir sugestões para outras pessoas que você conhece que recentemente fizeram alguma construção e contrataram estes profissionais.

Avalie a qualidade do trabalho e o preço cobrado pelo serviço. Dependendo do tamanho do projeto, você pode optar por contratar esses profissionais em empresas terceirizadas por um período determinado de tempo.

Se a reforma que deseja fazer for na sua residência, existem alguns serviços simples que você mesmo pode executar, como pintura de paredes, envernizar portas e janelas e instalações de lâmpadas e lustres. Caso o seu conhecimento sobre estas tarefas seja mínimo, pesquise na internet tutoriais e técnicas que podem te ajudar a fazer um serviço bem feito e sem riscos.

Acabamento

Para que a finalização da obra seja bem feita, é preciso escolher bem os materiais que vão compor o acabamento, como louças, pisos e iluminação. Faça uma lista com todos os itens necessários e pesquise nas lojas de materiais de construção sobre as marcas e preços. E fique atento as promoções, sobretudo as de queima de estoque.

Sustentabilidade

Ações sustentáveis podem gerar ótima visibilidade para empresas de construção civil. Economia de água e reaproveitamento de materiais que seriam descartados são alguns exemplos. Além de gerarem economia para a empresa, contribuem para uma divulgação positiva da mesma no mercado.

Investir em equipamentos de boa qualidade

Máquinas e ferramentas modernas facilitam e muito a produtividade no canteiro de obras, além de trazerem maior qualidade e rapidez na conclusão dos serviços. Neste caso, é comum surgir a dúvida sobre o alugar ou comprar equipamentos e qual das opções é mais vantajosa do ponto de vista econômico.

Alguns quesitos que devem ser analisados são o tipo de obra, o custo e o prazo para conclusão. Ao optar pela compra, a empresa vai ter maior facilidade e flexibilidade para destinar os equipamentos corretos para cada fase da construção, além de possuir o próprio a maquinário para os próximos projetos. Já a locação oferece maior oferta na escolha de quais equipamentos investir. Os custos com a manutenção e armazenamento também ficam sob responsabilidade da empresa locadora.

***

Alem dessas dicas, cada empresa e profissional consegue desenvolver suas práticas internas para uma melhor gestão financeira de seus projetos. Se essas dicas lhe foram úteis, compartilhe em suas redes sociais e deixe seu comentário!

Compartilhar este post

Fique por dentro das nossas novidades. Assine nossa newsletter.